quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Segredos do Deserto

Al Fayoum
João Paulo Guerra, no Cairo,
o diário, 2 de Julho de 1988

A família Abd El Kemet cultiva flores no Oásis de Al Fayoum, cerca de 100 quilómetros para sul do Cairo, no deserto ocidental do Egipto. Os primeiros jardins de Al Fayoum foram plantados pelos bisavôs dos bisavôs da atual geração e hoje o cultivo vai em 25 espécies diferentes de flores – lótus, jasmins, gardénias, papoilas e muitas outras. 



No Oásis de Al Fayoum, as flores são colhidas e depois prensadas e delas se extraem essências que são exportadas para a Europa, sobretudo para França. Na Europa, e sobretudo em França, as essências das flores de Al Fayoum são diluídas em muito álcool e vendidas a preços caríssimos depois de batizadas com nomes como “Chanel 5”, ou “Opium”, de Saint Laurent, este fabricado a partir da essência das papoilas que, em Al Fayoum, são conhecidas por “Segredos do Deserto”.

Opium
Para saber tudo isto, eu apenas perguntei pelo nome de uma rua do Cairo. Mas, calhou que perguntei a um tetraneto dos Abd El Kemet que, não só me indicou a localização da rua que procurava como, em nome da hospitalidade árabe, me convidou a visitar a sua loja, onde me ofereceu um café e um cigarro egípcios e me deu a cheirar essências do Deserto.

João Paulo Guerra, à margem da cobertura jornalística de uma ronda para a paz em Angola, 
Cairo, o diário, 2 de Julho de 1988

Sem comentários: